• Marcação Online calendar
  • Fale com um assistente chat
  • Checkup Online agenda
  • Oferta de avaliação médica gift

Restauração dos dentes: a cor fica igual?

  • Restauração dos dentes: a cor fica igual?

    Compare as vantagens e as desvantagens dos principais métodos de reconstrução de dentes partidos ou deformados.

    Existem várias formas de reconstruir dentes partidos ou deformados, cada uma com diferentes resultados a nível funcional e estético para o Paciente.

    Endodontia

Notícias

Restauração dos dentes: a cor fica igual?

Por mais cuidado que tenhamos com a higiene oral, existem fatores impossíveis de controlar e que podem danificar parte dos nossos dentes. Nessas alturas, recorremos com urgência à restauração dentária, quase sempre com uma dúvida inquietante: será que a cor fica igual? Vejamos as principais vantagens e desvantagens de 5 tipos de tratamento:
 

Restauração com resinas compostas (compósito)


Também chamadas de “massa” ou “chumbo branco”, as resinas compostas são, atualmente, a solução mais utilizada para reconstruir dentes. Aplicadas numa sessão apenas, são sobretudo utilizadas para restaurar as partes mais visíveis.
 

Vantagens

  1. Preserva o dente natural – Devido à sua facilidade em aderir à estrutura do dente, diminui a necessidade de desgastar partes saudáveis dos dentes naturais;

  2. Resistência – Uma vez endurecido, o material apresenta boa qualidade e resistência;

  3. Estética – Permite selar bem as margens dos dentes;

  4. Manutenção facilitada – Não havendo cáries ou outro tipo de complicações instaladas debaixo da resina, não é necessário retirar todo o material colocado anteriormente para se fazer a manutenção da restauração;

  5. Cor idêntica – Dispõe de uma vasta gama de cores e, por isso, permite a obtenção de um resultado bastante próximo do natural, não sendo visível qualquer diferença.
     

Desvantagens

  1. Alterações de cor – Tal como os dentes naturais, a cor da resina pode sofrer alterações ao longo do tempo. Para impedir que isso aconteça, pelo menos numa fase inicial, deverá evitar o consumo de certos alimentos, bebidas (como o café e o chá) e até de tabaco, uma vez que estes produtos possuem pigmentos que aceleram esse processo.

  2. Durabilidade – Apesar de ser uma solução cada vez mais duradoura (de 3 a 10 anos), quando comparada com as reconstruções através de amálgama de prata ou ouro, apresenta uma longevidade reduzida;

  3. Bruxismo – Para Pacientes que tenham o hábito de ranger os dentes (o chamado «Bruxismo»), as restaurações efetuadas com resina podem acabar por se desgastar mais rapidamente, partindo-se com alguma facilidade.
     

Restauração com Amálgama 


Por vezes chamada de «chumbo», esta é outra solução para a restauração dentária e geralmente utilizada para as zonas mais escondidas dos dentes.
 

Vantagens

  1. Resistência – Trata-se de um material altamente resistente, comparativamente com a resina composta, sendo menos suscetível ao desgaste pela mastigação.

  2. Durabilidade – Estas restaurações podem durar cerca de 10 anos ou mais.
     

Desvantagens    

  1. Cor – Por ser feita de metais, não garante uma cor semelhante à do dente natural. Habitualmente, possui uma cor cinzenta e, por isso, é uma opção menos apelativa, a nível estético.

  2. Dificuldade em reverter a cor – Pode alterar a cor do que resta do dente natural, deixando- o um pouco acinzentado. Neste sentido, mesmo substituindo a amálgama pela resina, poderá ser necessário remover alguma da estrutura original do dente, o que nem sempre é recomendável.

  3. Pode partir o dente – Pode parecer contraditório, mas se for muito grande, a amálgama de prata pode ter um efeito contrário ao esperado e acabar por fraturar o dente, devido às suas propriedades.
     

Restauração com Ouro


Este tipo de restauração é elaborado em laboratórios de próteses, sendo depois colocado no dente que está a ser tratado.
 

Vantagens

  1. Durabilidade – Esta é, provavelmente, a solução mais duradoura, podendo durar até 20 anos. 
     

Desvantagens

  1. Cor – A cor final não é a mesma dos dentes naturais.

  2. Preço – Apesar de ter um custo variável, pode custar muito mais do que a amálgama e o compósito.

  3. Tempo de tratamento – Requer várias visitas à clínica.

     

Restauração com Cerâmica


As restaurações em cerâmica são produzidas em porcelana e cobrem uma grande parte ou mesmo a totalidade do dente, sendo fabricadas em laboratório.
 

Vantagens

  1. Cor – O aspeto final é bastante semelhante aos dentes naturais. Para além isso, também é mais resistente a manchas.

  2. Resistência – Seguindo os protocolos de preparação e colocação, estas restaurações tornam-se muito resistentes.
     

Desvantagens

  1. Preço – Comparativamente aos compósitos e à amálgama, tem um custo mais elevado.

  2. Tempo de tratamento – Uma vez que é um trabalho feito em laboratório, habitualmente requer uma maior frequência e duração de consultas.
     

Restauração com Ionómeros de vidro


Estas restaurações são feitas a partir de um elemento do vidro. 
 

Vantagens

  1. Resistência – É uma solução muito resistente e especialmente indicada para Pacientes com maior tendência para ter cáries.

  2. Libertação de flúor – O Ionómero tem a capacidade de reter flúor das pastas dentífricas e da alimentação e libertá-lo lentamente, permitindo assim aumentar a resistência do dente a cáries.

  3. Indicado para crianças – Pelas suas características, torna-se um material de excelência na Odontopediatria.
     

Desvantagens

  1. Cor – Ainda que tenha uma cor semelhante ao dente, são poucas as cores disponíveis.

  2. Estética – Pelas propriedades do ionómero, a qualidade estética não é a melhor, condicionando a sua utilização apenas a dentes posteriores.
     

Restauração dos dentes: a cor fica igual?

Qual é o tipo de restauração mais indicado?


Atualmente, o tipo de restauração mais utilizado é o da resina composta, dada a sua relação custo-benefício. Para além disso, as restaurações com cerâmica também oferecem um resultado muito idêntico aos dentes naturais. No entanto, não é possível dizer que estas sejam as melhores soluções para o seu caso. Antes de optar por uma das hipóteses, deverá consultar o seu dentista, avaliando o estado dos dentes, o local e a dimensão do dano, eventuais alergias a alguns materiais e o preço do tratamento. 
 

"O tipo de restauração mais utilizado é o da resina composta, dada a sua relação custo-benefício."


Se realizar uma restauração dentária, não se esqueça dos conselhos habituais: realize uma higiene diária completa e visite regularmente o seu dentista. Dessa forma, poderá controlar o desgaste do material, reparando-o quando for necessário e maximizando a sua longevidade.