Ranger os dentes: e se não souber que o faz?

  • Ranger os dentes: e se não souber que o faz?

    Descubra aqui as suas possíveis causas, sintomas e tratamentos.

    Popularmente conhecido como «ranger os dentes», o bruxismo é um problema silencioso que afeta a saúde oral de milhares de portugueses.

    Saúde Oral

Notícias

Bruxismo: e se não souber que range os dentes?

O hábito de ranger os dentes (designado por bruxismo) é uma realidade que afeta muitos portugueses. No entanto, como pode ocorrer de forma involuntária e até durante o sono, a verdade é que este problema acaba por passar despercebido para a maioria das pessoas. Para evitarmos um diagnóstico demasiado tardio e consequências devastadoras para a sua boca, é importante revermos as causas, os sintomas e os tratamentos conhecidos para o bruxismo. Ora vejamos:

Em que consiste o hábito de ranger os dentes?


De um modo simples, o bruxismo é o comportamento de apertar e ranger os dentes, de forma involuntária. Através de movimentos que aplicam muita força sobre os músculos, o bruxismo pode danificar significativamente os dentes dos Pacientes, desgastando o esmalte e trazendo várias consequências negativas para a sua saúde oral.

Apesar de ser relativamente comum na infância e tender a desaparecer com a idade, este ato pode ocorrer em qualquer pessoa e em qualquer fase da vida. Normalmente, divide-se em bruxismo diurno e noturno, mas também se pode manifestar em ambos os períodos.
 

Quais são as causas?


Até ao momento, ainda não é possível identificar claramente o que provoca o hábito de ranger os dentes. No entanto, existem alguns fatores que aparentam estar relacionados com o seu desenvolvimento, tais como:

  1. Stress e ansiedade;

  2. Sentimentos de revolta, medo ou frustração;

  3. Distúrbios do sono (como, por exemplo, a apneia do sono e o ato de ressonar);

  4. Idade jovem;

  5. Elevado nível de escolaridade;

  6. Consumo de tabaco, cafeína ou álcool;

  7. Consumo de medicamentos para o sono, a depressão ou a ansiedade;

  8. Má oclusão (quando os dentes superiores e inferiores não estão bem alinhados);

  9. Obstrução nasal e outras queixas respiratórias.
     

Quais são os sintomas?


Por ser um comportamento inconsciente, o hábito de ranger os dentes costuma ser detetado numa fase já tardia do seu desenvolvimento. No entanto, é possível identificá-lo em tempo útil se estiver atento a alguns sinais:

  1. Dores de cabeça semelhantes a uma enxaqueca;

  2. Desconforto nos maxilares;

  3. Dores nos músculos mastigadores, na cara e nos ouvidos;

  4. Tensão e rigidez dos ombros;

  5. Dificuldade em realizar movimentos de abertura da boca;

  6. Ruído durante o sono;

  7. Inchaço da cara, da cabeça ou do pescoço;

  8. Desgaste do esmalte dos dentes;

  9. Sensibilidade dentária;

  10. Gengivas feridas;

  11. Lesões na cavidade oral;

  12. Insónias;

  13. Ansiedade; 

  14. Tonturas, vertigens, enjoos ou vómitos.

 

"Por ser um comportamento inconsciente, o hábito de ranger os dentes costuma ser detetado numa fase já tardia do seu desenvolvimento."

Ranger os dentes


O que deve fazer?


Se suspeita que pode sofrer de bruxismo, consulte o seu médico o mais cedo possível. De facto, embora as causas exatas deste problema ainda sejam desconhecidas, é possível identificá-lo com facilidade, recorrendo a um diagnóstico completo do estado da sua boca.

Uma vez determinada a gravidade, o seu dentista poderá recomendar o melhor tratamento para si. Dessa forma, será possível atenuar a dor e controlar o desenvolvimento de mais complicações no futuro. Apesar de cada caso ser um caso e do seu plano de tratamento depender do diagnóstico feito pelo médico, podemos destacar três procedimentos principais:

  1. Placas de bruxismo – Uma das formas de evitar que os dentes superiores e inferiores entrem em contacto e se desgastem é utilizar uma espécie de placa. Uma vez encaixada nos dentes superiores ou inferiores, a atividade muscular é reduzida e os dentes são protegidos.

  2. Correção da mordida – Já que uma mordida incorreta pode potenciar o atrito entre os dentes, uma outra forma de tratamento do bruxismo passa, precisamente, pela restauração dentária. Através de próteses, de coroas ou até do alinhamento dos dentes, é possível diminuir a tensão muscular e garantir que os dentes encaixam perfeitamente.

  3. Formas de relaxamento – Como o stress parece ser uma das causas associadas ao bruxismo, tratamentos de relaxamento também podem ser úteis. Um estilo de vida saudável, a prática regular de desporto ou, caso se justifiquem, consultas de psicologia ou neurologia são exemplos de tratamentos que podem ajudar o Paciente a relaxar. Para além disso, medicamentos ou remédios caseiros também podem ser recomendados.

Seja qual for o seu caso, o importante é que faça uma boa higiene oral e que visite regularmente o seu dentista. Se vigiar atentamente o estado da sua boca, estará mais atento a qualquer sintoma e poderá prevenir problemas silenciosos como o bruxismo, maximizando a sua qualidade de vida.