O flúor nas pastas de dentes: faz bem ou mal?

  • O flúor nas pastas de dentes: faz bem ou mal?

    Entenda os riscos e os benefícios que estão associados à utilização de pastas dentífricas fluoretadas.

    Com tanta informação contraditória sobre os efeitos do flúor na saúde oral, é importante esclarecer qual é a sua função e que riscos podem advir da sua utilização.

    Higiene Oral

Notícias

O flúor nas pastas de dentes: faz bem ou mal?

Apesar dos benefícios do flúor serem amplamente divulgados, têm surgido algumas notícias que dão conta de alegados efeitos nocivos para os dentes. Para evitar confusões e garantir que os Pacientes utilizam os seus produtos de higiene oral sem receio, vejamos quais são, realmente, as características do flúor:
 

O que é o flúor?


O flúor é um mineral presente na Natureza e que podemos encontrar na água, no solo e em vários alimentos. Devido às suas propriedades, este elemento também tem sido bastante utilizado nas pastas e nos elixires recomendados pela Medicina Dentária.
 

Qual é a sua importância? 


Segundo a Organização Mundial de Saúde, a utilização de pastas de dentes com flúor é a forma mais eficaz de diminuir as cáries dentárias. 

 

"A utilização de pastas de dentes com flúor é a forma mais eficaz de diminuir as cáries dentárias."

 

De um modo geral, o flúor tem duas funções principais: proteger e fortalecer. Por um lado, quando as bactérias se alimentam dos açúcares presentes na nossa boca (libertando ácidos que afetam o esmalte e favorecem o aparecimento de cáries), o flúor tem a capacidade de proteger os dentes, tornando-os resistentes a essa ameaça. Por outro, se os dentes do Paciente já apresentarem sinais de desgaste e desmineralização, também ajuda a reforçar o esmalte nessas áreas, tornando-os mais fortes.
 

Quais são os riscos associados ao flúor?


Como todos os produtos, para evitar problemas, as pastas de dentes que contêm flúor devem ser utilizadas de forma correta e nas quantidades recomendadas para cada Paciente. 

Se for usado em grandes quantidades, o flúor pode originar problemas como a fluorose dentária, que causa manchas brancas ou castanhas nos dentes. Este problema acontece maioritariamente em crianças, até aos 8 anos, e pode levar a uma má formação do esmalte durante o desenvolvimento dos dentes. 

Além disso, também existem riscos de intoxicação associados a estas pastas, mas apenas em casos extremos, nomeadamente se as crianças engolirem doses consideráveis de fluoretos ao lavarem os dentes. Por esse motivo, embora deva utilizar pastas com flúor, é recomendável que a escovagem dos dentes até aos 6 anos de idade seja feita com menores quantidades de pasta e que o procedimento seja progressivamente realizado pela criança, mas sempre sob o olhar atento de um adulto.
 

O que se deve fazer? 


Apesar dos riscos associados às pastas com flúor, desde que sejam usadas com segurança, os seus benefícios (nomeadamente na prevenção das cáries) continuam a fazer com que estes produtos sejam altamente recomendados pelos profissionais de Medicina Dentária. Ainda assim, é importante perceber que cada caso é um caso e que algumas pessoas podem precisar de pastas de dentes específicas, dependendo da sua situação. 

O flúor nas pastas de dentes: faz bem ou mal?

Uma prevenção feita de forma informada é a única forma de manter uma saúde oral perfeita ao longo do tempo. Para tal, visite o seu médico dentista regularmente, esclareça qualquer questão que lhe suscite dúvidas e aconselhe-se acerca dos produtos que deve utilizar na sua higiene oral.