Alternativas ao cheque-dentista

  • Alternativas ao cheque-dentista

    O que fazer se não tiver direito a este apoio?

    Alivie o esforço com os tratamentos com estas 3 alternativas.

    Saúde Oral

Notícias

O cheque-dentista é um apoio importante para muitas famílias portuguesas. No entanto, nem todos podemos beneficiar deste apoio do Estado. Se não tiver acesso ao cheque-dentista, saiba o que pode fazer para aliviar o esforço financeiro com os tratamentos de Medicina Dentária.

Cheque-dentista: saiba o que pode fazer quando não tem direito a este apoio.

 

Alternativas ao apoio do cheque-dentista:

Existem várias formas de aliviar o peso sobre o seu orçamento familiar quando chega a altura de tratar a Saúde Oral.

Sistema Nacional de Saúde (SNS) 

Desde 2016 que o Ministério da Saúde começou a incluir consultas de Medicina Dentária nos cuidados de Saúde primários, conforme Despacho n.º 8591-B/2016, publicado no Diário da República. Atualmente, cerca de meia centena de centros de Saúde, integrados em agrupamentos das cinco regiões de Portugal Continental, contam com Médicos Dentistas nas suas equipas clínicas. Qualquer utente do SNS poderá recorrer a estas consultas desde que referenciado pelo seu Médico de família e desde que esteja inscrito num centro de Saúde que possua pelo menos um Médico Dentista.

A grande vantagem desta alternativa de cuidados de Saúde Oral é que estas consultas são comparticipadas pelo estado e tabeladas de acordo com o preçário das especialidades abrangidas pelo SNS. Ou seja, os utentes poderão recorrer a estas consultas pagando apenas as taxas moderadores.

As desvantagens prendem-se maioritariamente com três grandes motivos. O número de Médicos Dentistas integrados no SNS está ainda muito aquém das necessidades da população, o que resulta em longos períodos de espera. Hoje em dia, existem ainda várias zonas do país que não têm acesso a este serviço. Além disto, tratamentos de Implantologia, Ortodontia e Prótese Fixa, entre outros, não são abrangidos pelo SNS por serem considerados tratamentos estéticos.

 

Seguros de Saúde

A oferta de seguros de Saúde com cobertura para tratamentos de Medicina Dentária tem vindo a crescer na última década em Portugal. Atualmente, e de acordo com a Deco Proteste, o capital disponibilizado pelas seguradores para um ano de estomatologia localiza-se entre os 250 e os 1000 euros.

A grande vantagem dos seguros é que, se recorrer a clínicas dentárias convencionadas, pode conseguir comparticipações acima dos 70%, valor que a seguradora poderá financiar logo à cabeça. Nestes casos, os beneficiários só pagam o remanescente. Fora da rede convencionada, os beneficiários poderão seguir pela modalidade de reembolso, onde as comparticipações variam entre 35 e 80%, consoante o plano contratado.

Uma das maiores desvantagens da inclusão da cobertura de estomatologia num seguro de Saúde é que faz disparar o seu preço. Obrigando, em alguns casos, a subscrever produtos com capitais mais elevados para hospitalização e ambulatório. Além disso, a maioria das apólices cobre apenas 250 euros em cuidados de estomatologia, o que acaba por ser um valor muito baixo tendo em conta os custos dos tratamentos desta especialidade. Desde 2019 que a OMD tem vindo a pedir ao Estado uma maior regulação destas apólices, de forma a que nem Pacientes nem Médicos Dentistas sejam prejudicados pelos modelos praticados.

 

Facilidades de Pagamento

Outra alternativa ao cheque-dentista são os Protocolos de Pagamento. Face às dificuldades das famílias portuguesas com os custos da Medicina Dentária no nosso país, algumas redes de clínicas privadas, como as clínicas OralMED Medicina Dentária, começaram a disponibilizar este tipo de facilidades. Nesta modalidade, é calculado o valor de prestação mais cómodo para o Paciente, de acordo com os seus rendimentos. 

A grande vantagem desta modalidade é que diminui o esforço financeiro que o Paciente terá para recuperar a sua Saúde Oral em pleno. Independentemente do tipo de tratamentos que tiver de realizar. Permitindo a várias pessoas aceder a cuidados de que precisam e que de outra forma não podem receber.

A maior desvantagem prende-se com a percentagem do custo que fica a cargo do Paciente: nesta modalidade, os tratamentos do Paciente não são comparticipados. No entanto, Pacientes da ADSE ou com seguros de Saúde poderão pedir os recibos das suas consultas e requisitar o reembolso parcial dos seus tratamentos às suas seguradoras, conforme plano contratado, como faria com quaisquer tratamentos de estomatologia que realiza-se no país.

Cheque-dentista: não deixe de cuidar da sua Saúde Oral.

 

Não deixe de cuidar da sua Saúde Oral

Ainda que a OMD reconheça a necessidade de reformulação deste apoio, o cheque-dentista pode aliviar o esforço financeiro de muitas famílias portuguesas, no que toca aos encargos com a Saúde Oral. No entanto, as restrições e critérios para a atribuição e utilização deste documento não devem comprometer a sua Saúde e bem estar. 

Mesmo que não seja beneficiário do PNPSO, ou que alguns atos clínicos não sejam cobertos pelo cheque-dentista, não deixe de procurar o tratamento que precisa para recuperar a sua Saúde Oral. Não se esqueça que o estado da nossa boca tem um enorme impacto na nossa Saúde geral.

Atualmente, já existem alternativas que permitem aliviar o peso da Medicina Dentária no seu orçamento familiar.